Brasil

O fim do trabalho humano? Assim é a fábrica futurista da Tesla em Xangai

Na planta fabril, 95% dos processos estão automatizados

A fábrica da Tesla em Xangai funciona exatamente como Elon Musk esperaria: uma planta futurista, que se destaca por sua grande eficiência em relação à concorrência.

No entanto, esta filial chama a atenção por uma curiosa ausência: a de mão de obra humana. Um vídeo recentemente publicado pela própria empresa tecnológica se tornou viral por esse grande detalhe.

Os segredos de Tesla em Xangai

Na sequência publicada na rede social X, anteriormente chamada de Twitter, é possível ver um vislumbre dos processos dentro da fábrica Giga Xangai.

Nesse lugar, 95% dos processos são automatizados, o que permite a produção de um veículo a cada 40 segundos.

Isso resulta da implementação de um método de trabalho altamente automatizado, focado em minimizar a intervenção humana e, assim, aumentar a eficiência.

Impacto da Tesla na indústria automotiva global

De acordo com meios de comunicação como a Nikkei e a Reuters, a Tesla já superou significativamente gigantes como a Toyota e a Volkswagen em eficiência de produção.

Para ter uma ideia: enquanto o Tesla Model Y é montado em cerca de dez horas, outros fabricantes como a Volkswagen precisam de até 30 horas para completar modelos semelhantes.

Assim, a estratégia de automação da Tesla se tornou um ponto de referência para a indústria, com concorrentes se esforçando para replicar o modelo da Tesla, especialmente em mercados competitivos como a China.

É por isso que outros fabricantes de automóveis, como Volvo, Ford e Hyundai, já estão adotando estratégias similares às da Tesla, investindo na fabricação de peças de maior tamanho para agilizar a produção.

Até empresas como a Xiaomi estão entrando nesse campo, com planos de construir operações ainda maiores do que as da Tesla.

Com tudo isso, a Tesla já anunciou planos para montar um veículo a partir de 400 peças únicas, simplificando ainda mais o processo de montagem e elevando os padrões da indústria. Talvez isso exija ainda menos presença humana, mas isso está por ser visto.

Tags

ÚLTIMAS NOTÍCIAS


NÓS RECOMENDAMOS