Brasil

Ninguém viajou novamente para a Lua em mais de 50 anos: quais os motivos

Foi uma situação bastante dolorosa, de acordo com os astronautas

Luna

No dia 14 de dezembro de 1972 foi o último dia em que os seres humanos estiveram na Lua. Gene Cernan e Harrison Schmitt, depois de pisarem o satélite, voltaram à Terra com Ronald Evans no comando da nave, na parte final da Missão Apollo 17.

Desde então, nenhuma outra pessoa visitou nosso satélite natural. Com o Programa Artemis, que busca levar a primeira mulher e o próximo homem à Lua, mais de 50 anos sem presença humana serão quebrados.

Nesta segunda-feira os tripulantes da Missão Artemis II serão conhecidos, que levará quatro astronautas até a órbita da Lua e, em seguida, de volta à Terra. Tudo indica que serão os mesmos que, na Artemis III, chegarão à superfície lunar.

Mas por que em pouco mais de meio século os humanos não voltaram ao satélite natural? Astronautas e ex-membros da NASA falaram sobre isso nos últimos anos.

Ir à Lua, uma questão de (muito) dinheiro

Jim Bridenstine, administrador da NASA de 2018 a 2021, proferiu durante seu mandato: “Foram os riscos políticos que impediram que acontecesse. O programa levou muito tempo e custou muito dinheiro”.

"Se não fosse pelo risco político, estaríamos na Lua agora mesmo. Na verdade, provavelmente estaríamos em Marte".

Os investimentos da NASA nas últimas décadas concentraram-se em outras áreas do espaço. Projetos como o Telescópio Espacial James Webb, explorações em Júpiter e Marte, o cinturão de asteroides e o cinturão de Kuiper, entre outros, foram cumpridos com sucesso.

Para chegar a isso, foi necessário deixar de lado o retorno à Lua.

De acordo com o Business Insider, o orçamento da NASA para 2022 foi de 24 bilhões de dólares, e estava previsto chegar a 26 bilhões de dólares até 2023. Ainda é muito baixo se comparado, por exemplo, com o do Exército dos Estados Unidos, que para este ano seria de 858 bilhões de dólares.

Walter Cunningham, astronauta do Apolo 7, explicou em 2015: "A parte do orçamento federal da NASA atingiu um máximo de 4% em 1965. Nos últimos 40 anos, tem se mantido abaixo de 1%, e nos últimos 15 anos tem se aproximado de 0,4% do orçamento federal".

"A exploração tripulada é a empreitada espacial mais cara e, consequentemente, a mais difícil de obter apoio político", enfatizou Cunningham, falecido em 3 de janeiro aos 90 anos de idade.

Quanto custará o Programa Artemis?

A NASA estima, de acordo com o portal Euro News, que o Programa Artemis terá custado pelo menos 93 bilhões de dólares, quando os astronautas alcançarem a superfície da Lua. Apenas o Artemis I custou 4 bilhões de dólares.

Qual será o próximo passo? Uma estação em órbita da Lua, que substituirá a Estação Espacial Internacional. Seu nome é Gateway.

Nas palavras do astronauta Chris Hadfield, consultado pelo Business Insider: "Uma estação de pesquisa humana permanente na lua é o próximo passo lógico. Está apenas a três dias de distância. Podemos nos dar ao luxo de cometer erros e não matar a todos".

“E temos um monte de coisas para inventar e depois testar para aprender antes de podermos aprofundar”.

Tags

ÚLTIMAS NOTÍCIAS


NÓS RECOMENDAMOS