Brasil

Elon Musk revela seu lado obscuro: a luta interna que quase o levou ao suicídio

Felizmente conseguiu superar isso e se tornar o empresário que é hoje

Elon Musk triste
Elon Musk triste Imagem genérica

O controverso CEO da SpaceX e Tesla, Elon Musk, é uma figura por si só além das empresas que administra.

ANÚNCIO

Sua vida e forma de pensar são bem conhecidos, embora - assim como todo mundo - também tenha seu lado obscuro.

Recentemente, Musk revelou um episódio em sua vida que é um lembrete de que até mesmo as pessoas mais bem-sucedidas podem enfrentar desafios pessoais, pois ele chegou a pensar em suicídio em uma idade muito jovem.

A triste revelação de Elon Musk

Ele também é o dono da X, uma rede social que costumávamos chamar de Twitter, nem sempre teve um caminho de sucessos e vitórias.

Apesar de ser uma das figuras mais influentes do mundo tecnológico atual, Musk enfrentou um desafio pessoal crucial em sua juventude: a ideia do suicídio.

Em uma entrevista reveladora ao NYT, Musk lembrou de sua perspectiva naquela época: "Tudo é inútil? Por que não simplesmente se suicidar? Por que existir?", pensava.

Naquele momento, a leitura intensiva de textos religiosos e filosóficos o levou a questionar profundamente o sentido da vida, o que o levou a contemplar o suicídio.

Musk, que publicamente admitiu ter o Síndrome de Asperger, explicou que sua obsessão por escritos filosóficos alemães e textos religiosos o mergulhou em um estado de negatividade.

Foi encontrado lutando contra "demônios" internos e questionando o propósito da existência.

Como você superou isso?

"Inclusive em um momento feliz, quando eu era criança, sentia uma fúria de forças em minha mente constantemente. Esses demônios da mente estão, em sua maioria, aproveitados para fins produtivos. Mas de vez em quando... Algo dá errado", explicou o empresário de 52 anos na mídia citada.

No entanto, a chave para superar este período sombrio em sua vida veio na forma de literatura.

Musk encontrou consolo e uma nova perspectiva no livro 'O Guia do Mochileiro das Galáxias' de Douglas Adams, contou ao meio citado.

Este livro lhe proporcionou um refúgio mental, além de ajudá-lo a redefinir seu propósito na vida.

Nesse sentido, Musk expressou que a obra o inspirou a considerar que a vida é finita e que expandir a consciência e o entendimento humano poderia ajudar a encontrar as perguntas adequadas sobre o universo e, em última instância, o significado da vida.

O milionário refletiu sobre como essa mudança de perspectiva o ajudou a superar seus pensamentos suicidas. E, na mesma linha, reconheceu que seu constante fluxo de ideias às vezes pode ser avassalador, mas também é uma fonte de inspiração e motivação para seguir em frente.

Tags

ÚLTIMAS NOTÍCIAS