Brasil

A extinção da raça humana já tem data: isso diz a Inteligência Artificial

Estamos ficando sem tempo, como indica essa tecnologia analítica

Fin del mundo - Ilustración

A IA gerou várias previsões. Uma delas afeta a raça humana. Muitas coisas estão sendo feitas de forma errada no mundo. Diferentes mecanismos de produção esgotam os recursos não renováveis, e isso afeta diretamente a mudança climática. Tudo isso afeta o planeta em que vivemos, e se continuarmos da mesma forma, seguindo as diretrizes do capitalismo, estaríamos esgotando os elementos que permitem o desenvolvimento da vida como a conhecemos.

Isso é o que a inteligência artificial prevê. O chatbot do Google, chamado Bard, faz uma análise na qual determina quanto tempo nos resta na Terra, se continuarmos agindo da mesma forma que temos feito. Quanto tempo nos resta? Talvez apenas mais um século.

O positivo é que ele diz que ainda temos a oportunidade em nossas mãos de reverter esse cruel destino de extinção para o qual estamos caminhando.

Mudança climática: o início do fim

Se o ritmo atual das mudanças climáticas continuar, é provável que a humanidade enfrente uma série de desafios que poderiam levar à sua extinção em cerca de 100 anos. Esses desafios poderiam incluir:

  • Um aumento da temperatura global de até 4 graus Celsius, o que causaria a extinção de muitas espécies de plantas e animais, bem como a perda de grande parte da agricultura.
  • Uma elevação do nível do mar de até 6 metros, o que inundaria muitas áreas costeiras, incluindo grandes cidades como Nova York, Londres e Tóquio.
  • A intensificação dos fenômenos meteorológicos extremos, como furacões, secas e inundações, causaria danos generalizados à infraestrutura e às vidas humanas.

Se a humanidade não tomar medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, é provável que esses desafios ocorram. No entanto, é importante ter em mente que esses são cenários hipotéticos e é possível que a humanidade seja capaz de se adaptar às mudanças climáticas e mitigar seus efeitos.

Tags

ÚLTIMAS NOTÍCIAS


NÓS RECOMENDAMOS